ÁGUA NA VIDA COTIDIANA E NAS AULAS DE CIÊNCIAS: ANÁLISE DE INTERAÇÕES DISCURSIVAS E ESTRATÉGIAS DIDÁTICAS DE UMA PROFESSORA DOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL

Autores

  • Andreza Fortini da Silva FaE-UFMG /Programa de Pós-Graduação em Educação Av. Antônio Carlos 6627 – Belo Horizonte, MG – 31.270-909
  • Orlando Jr. G. Aguiar FaE-UFMG /Programa de Pós-Graduação em Educação Av. Antônio Carlos 6627 – Belo Horizonte, MG – 31.270-909

Palavras-chave:

interações discursivas, ensino de ciências, conhecimentos prévios, imagens na educação em ciências

Resumo

Este artigo examina como uma professora de séries iniciais estabelece vínculos entre as contribuições iniciais dos alunos sobre o tema água e os elementos que irão compor a abordagem do tema nas aulas de ciências. Para isso, examinamos as interações discursivas nas primeiras aulas da sequência, buscando vínculos entre eventos que vão sendo evocados e desenvolvidos pela professora com intensa participação das crianças. Examinamos, ainda, as estratégias didáticas conduzidas pela professora, destacando-se a presença de recursos visuais nas atividades de produção de textos, entendendo-as como práticas de alfabetização e letramento no contexto das aulas de ciências. Para examinar a efetividade de tais estratégias e recursos mediacionais, analisamos alguns exemplares das produções dos alunos (textos e desenhos). Utilizaremos como critérios de análise: marcas do discurso da aula de abertura e das discussões preliminares à atividade na produção dos alunos; evidências de mudanças nos repertórios iniciais dos alunos; evidências de conexões entre a “água na vida cotidiana” e a “água como objeto de estudo de ciências”. O contexto da pesquisa é uma sala de aula de 3º ano do Ensino Fundamental de uma escola pública municipal de Contagem/MG.

Downloads

Publicado

2016-07-13

Edição

Seção

Artigos