A COERÊNCIA E COMPLEMENTARIDADE ENTRE A TEORIA DA APRENDIZAGEM SIGNIFICATIVA CRÍTICA E A EPISTEMOLOGIA DE PAUL FEYERABEND

Autores

  • Felipe Damasio Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Santa Catarina – Araranguá, SC – Brasil/Programa de Pós-Graduação em Educação Científica e Tecnológica (PPGECT/UFSC
  • Luiz O. Q. Peduzzi Departamento de Física – Universidade Federal de Santa Catarina/Programa de Pós-Graduação em Educação Científica e Tecnológica (PPGECT/UFSC) Campus Universitário, 88040-900 - Florianópolis, SC – Brasil

DOI:

https://doi.org/10.22600/1518-8795.ienci2016v20n3p61

Palavras-chave:

Teoria da Aprendizagem Significativa Crítica, Paul Feyerabend, natureza da ciência, história da ciência, ensino básico

Resumo

Pesquisadores em ensino de Ciências têm defendido o ensino concomitante de e sobre ciência. Para a abordagem da natureza e história da ciência na Educação Básica é necessário, no entanto, que se tenha um enfoque epistemológico, que pode ir do racionalismo de Bunge ao relativismo de Feyerabend. No presente trabalho, se defende que a postura epistemológica de Feyerabend é a que mais pode contribuir para promover a aprendizagem significativa crítica, de tal modo a formar pessoas inquisitivas, flexíveis, criativas, inovadoras, tolerantes e liberais. Além disto, as sugestões da epistemologia de Feyerabend também complementam a Teoria da Aprendizagem Significativa Crítica ao propor um currículo e um contexto para que os princípios da teoria estejam nas salas de aula de ciências.

Downloads

Publicado

2015-12-31

Edição

Seção

Artigos